Adoção de cloud será maciça até 2020; conheça 4 necessidades da migração

Tecnologia permite otimização dos investimentos em TI, com aumento da agilidade e flexibilidade; ganhos com eficiência operacional variam de 45% a 87%

Na busca por otimização de custos, aumento da eficiência dos serviços e adoção de  inovações em TI, a maioria das empresas brasileiras pretende aumentar os investimentos em cloud computing. É o que aponta pesquisa da Cisco feita com 340 executivos de tecnologia. De acordo com o estudo, 94% das companhias terão solução na nuvem até 2020. Isso porque, a utilização de cloud de forma estratégica permite que as companhias otimizem seus investimentos em TI, aumentando sua agilidade e flexibilidade, possibilitando a implementação de soluções de negócios em menos tempo e com custo reduzido.

Segundo os dados da Cisco, os ganhos com relação à eficiência operacional ao adotar cloud computing variam de 45% a 87%, alavancados principalmente pelo tempo de provisionamento de serviços. As expectativas para esse mercado são altas. Na América Latina, cloud foi responsável por movimentar quase US$ 1 bilhão em 2016, sendo a modalidade infraestrutura como serviço (IaaS, na sigla em inglês) destaque nesse contexto, com os investimentos chegando a US$ 2,5 bilhões em 2021.

As principais características do conceito de computação em nuvem, como a transição de custos de Capex (Capital Expenditure ou despesas de capital ou investimento em bens de capital) para Opex (Operational Expenditure, ou despesas operacionais), além de o modelo de as-a-service e de pay-per-use, reduzem drasticamente os custos com TI tanto na compra de software e licenças, quanto em infraestrutura. A Cisco identifica quatro principais necessidades nessa jornada:

  1. Capacidade de gestão do ambiente de nuvens híbridas e multi-cloud por meio de uma plataforma integrada;
  2. Soluções de segurança para esse novo paradigma de TI híbrido, no qual o perímetro de segurança já não está tão bem definido;
  3. Oferta de infraestrutura e aplicações no modelo de consumo “as-a-Service”;
  4. Evolução da arquitetura de rede, conforme as aplicações e dados migram do data center da empresa para a nuvem pública.

Saiba mais:

Até 2020, IoT estará entre as tecnologias de mais impacto para os negócios

Imagem: Depositphotos