Como a união entre recursos humanos e TI nos fez melhores

|Por Soraya Meszaros*|

Com o uso de soluções de colaboração, mobilidade e Internet das Coisas, a área se tornou mais forte, inovadora e motivadora

Foi em 2000, em uma grande empresa nacional, que iniciei minha carreira, como assistente de RH. Naquela época, a área de recursos humanos avançava fortemente para o conceito de desenvolvimento de colaboradores, deixando para trás a definição burocrata de departamento pessoal e direcionando seus esforços e olhares para as pessoas. Eu me lembro de que uma das maiores dificuldades era fazer com que as novas iniciativas chegassem aos funcionários alocados em todo o Brasil.

Confesso que, olhando para trás, o desafio era maior do que eu julgava. Mas, 17 anos depois, a tecnologia torna palpável o que, antes, parecia impossível. Não só atuo como líder de RH, mas também exerço essa profissão em uma empresa de tecnologia da informação. Isso me faz sentir cada vez mais encantada com a realidade que a TI propicia à minha área, a partir do uso de soluções de colaboração, mobilidade e Internet das Coisas (Internet of Things, ou Iot), tornando-a mais forte, inovadora e motivadora.

A nova geração traz demandas que tornam a transformação digital um movimento essencial, rápido e dinâmico. O que, da perspectiva de RH, nos faz refletir sobre como receber e motivar um time que não consegue ficar offline. De acordo com estudo da Robert Half, em 2020, 20% dos colaboradores serão da geração Z – jovens que cresceram com a tecnologia, buscam equilíbrio entre vida pessoal e trabalho, são imediatistas, muito inteligentes e criativos.

Como é possível, afinal, transformar uma área humana com tecnologia? A resposta é: de diversas formas. É possível receber, gerir, inspirar e motivar o colaborador fazendo uso dessa gama de oportunidades, acompanhando e direcionando as equipes de maneira muito mais próxima. Além disso, a TI nos serve de meio para criar um vínculo de confiança e de transparência entre empresa e colaborador.

Levar a tecnologia da companhia para dentro de casa é um dos caminhos para essa nova realidade. Um exemplo disso é a plataforma Cisco Connected Mobile Experience (CMX), originalmente aplicada para análise do comportamento e interação com o cliente, mas que também pode ser utilizada na realização de ações para encantar colaboradores. Para o tão requisitado equilíbrio entre vida e trabalho, as plataformas de colaboração permitem que os profissionais realizem suas atividades em qualquer lugar com segurança e, ainda, redução de custos para a empresa. Também podemos falar de IoT, outra possibilidade de transmitir informações importantes de formas que nunca havíamos pensado.

Sou apaixonada por RH e por tecnologia, é verdade. E tenho um bom motivo para isso: as ferramentas de colaboração me fizeram esquecer das barreiras que, um dia, foram um grande problema, uma limitação de nossa capacidade de mostrar aos colaboradores o quanto eles são importantes, mesmo que estejam longe. A comunicação e integração tornaram-se rápidas, fazendo com que o relacionamento seja cada vez mais transparente e eficiente.

A tecnologia não traz prejuízo algum à essência de recursos humanos. Pelo contrário, a combinação desses dois poderosos instrumentos transformará os atuais modelos de gestão, tornando-nos ainda mais próximos, ainda mais…humanos!

*Soraya Meszaros é gerente de recursos humanos da 2S.

Saiba mais:

Entrevista exclusiva: Augusto Cruz, diretor de TI da Suzano Papel e Celulose

Transformação digital: a indústria conectada

Imagem: Depositphotos