Setembro Vermelho: uma ação para salvar vida

|Por Soraya Meszaros*|

O que uma corrente de solidariedade pode fazer por um indivíduo, uma empresa ou uma sociedade

Há um ano criamos a Campanha Setembro Vermelho 2S, dentro de um amplo projeto social da empresa para envolver nossos colaboradores nas mais sensíveis e urgentes causas da sociedade. Os resultados da ação, em 2015, nos trouxeram mais do que satisfação; deram ainda mais significado a esses esforços. Pois, mais do que um número expressivo de doadores – ultrapassamos a marca de cem, entre funcionários, familiares e colegas de mercado -, moldamos uma mentalidade, uma motivação. Completa foi minha alegria quando notamos que algumas dessas pessoas se tornaram doadores regulares, contagiados pela possibilidade de ajudar o próximo.

No momento em que lançamos a segunda edição da campanha, com o lema “Doe sangue. Salve vidas. Seja você mesmo a Solução”, é nesse clima que entramos. Porque para nós, da 2S, uma equipe hábil tecnicamente, talentosa e criativa nunca poderá se sentir plenamente feliz e realizada enquanto não estiver conectada ao todo, ao mundo em que vive, às pessoas em seu entorno. Nosso objetivo é incentivar, ainda mais, nossos colaboradores a olhar o outro.

Não podemos perder ou subestimar nossa conexão individual com a humanidade e seus dilemas. O resgate do lado solidário e humano do indivíduo é uma emergência pela qual todos somos responsáveis. A Organização Mundial da Saúde (OMS) alerta para a conscientização em torno da doação de sangue: as ações voluntárias e não remuneradas precisam aumentar rapidamente em mais da metade dos países do mundo para garantir um suprimento confiável de sangue aos pacientes. Segundo o Ministério da Saúde, apenas 1,9% da população brasileira doa sangue. Houve um aumento de 5% na coleta de bolsas no último ano, de 3,5 milhões para 3,7 milhões – mas é preciso ir além.

A Campanha Setembro Vermelho 2S começou apenas para funcionários, porém, ao percebermos a gravidade da situação dos bancos de sangue em nosso País, decidimos ampliá-lo. Nesse contexto, esta edição da campanha traz uma ampliação especial da aliança com a Cisco – além de mantermos uma parceira tecnológica há mais de duas décadas, a fabricante adiciona esforços à iniciativa, a fim de nos ajudar a sensibilizar um número maior de pessoas. A ideia é criar uma concorrente entre a 2S, fornecedores, clientes e sociedade, todos inspirados pela possibilidade de dar a sua contribuição.

Convido você a se juntar a nós nessa campanha que a 2S tem a honra de organizar, mas que pertence a todos nós. As doações serão destinadas ao Banco de Sangue de São Paulo, que realiza a distribuição para os hospitais conveniados à instituição. Um dos pontos de coleta é o Hospital Edmundo Vasconcelos. É nesse mundo solidário e humano que desejamos viver. Também é em uma empresa feita de pessoas com essa intenção que queremos estar.

* Soraya Meszaros é gerente de recursos humanos da 2S Inovações Tecnológicas.

Mais sobre as doações:

As doações serão destinadas ao Banco de Sangue de São Paulo e os pontos de coleta são: Hospital Professor Edmundo Vasconcelos – Rua Borges Lagoa, 1450 – Vila Clementino, Tel.: (11) 5080-4435 Horário: 2ª à 6ª feira das 8h às 17h e Sábado das 8h às 12h

Doação de sangue no Brasil e na AL

– Somente 41% das doações de sangue, na América Latina e Caribe, provém de doadores voluntários altruístas – considerada a fonte mais segura de coleta de sangue.

– No mundo, são realizadas 92 milhões de doações de sangue por ano.

– Dos 80 países que apresentam baixos índices de doação de sangue (menos de 10 doadores para cada mil habitantes), 79 são nações em desenvolvimento.

– No Brasil, 1,9% dos brasileiros doam sangue regularmente.

– Em 2014, foram coletadas 3,7 milhões de bolsas de sangue no País – 200 mil a mais na comparação com o ano anterior.

– Uma única bolsa de 450 ml pode salvar até quatro vidas.

Fontes: Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) e Ministério da Saúde do Brasil.