Transformação digital: 4 benefícios da gestão inteligente de frotas

Tecnologia permite que todas as informações de logística e expedição estejam integradas, o que auxilia na redução de erros operacionais e de embarque, com ganhos de produtividade de até 30%

A necessidade de acompanhar e mensurar – com precisão – o desempenho dos setores logísticos se tornou um fator-chave devido à necessidade atual de redução de custos, diminuição de desperdícios e aumento das margens de lucro. Isso joga luz à gestão inteligente de frotas que, por meio da tecnologia, consegue rastrear produtos, pessoas e veículos, e deixa à disposição da empresa todas as informações de logística e expedição, auxiliando na redução de erros operacionais e de embarque, com ganhos de produtividade de até 30%.

Ao notar a demora para lançar os dados, que chegava a 48h nos finais de semana, um grande player de mineração decidiu digitalizar todo seu processo de logística e embarcar, de vez, na transformação digital. Como resultado, conseguiu monitorar em tempo real 96% de todos os equipamentos, com controle e redução de tempo ocioso de 35% e retorno de investimento superior a 18%.

“Isso porque, sem a tecnologia, é comum que as companhias tenham, por exemplo, problemas devido a filas de caminhões na entrega, o que pode gerar multas municipais e atrasos; além de demorar para faturar os produtos por conta da lentidão para lançar dados”, explica Mirella Damaso Vieira, gerente de desenvolvimento de negócios da 2S. Segundo ela, utilizando a digitalização como base, é possível contar com um sistema inteligente de descarregamento e despacho, além da possibilidade de identificar o condutor assim que ele entra na planta, com informações de que tipo de carga porta e em qual local vai descarregar. Tudo isso interligado com ações, como emissão de notas.

Veja a seguir, os quatro principais benefícios de contar com uma gestão inteligente de frotas:

1. Redução de perdas

O gestor consegue saber se todos os veículos estão sendo usados corretamente: a frota é a ideal ou é preciso aumentá-la ou diminuí-la? Além disso, é possível promover a manutenção preventiva, o uso de recursos de telemetria e o monitoramento do motorista. Por exemplo: interfaces de telemetria para leitura de sinais vitais dos equipamentos; gestão do consumo de combustível; dados de odômetro, horímetro e tacógrafo digital; análise operacional por meio de informações de RPM (rotação por minuto), frenagem, aceleração e utilização de embreagem; e padronização da operação dos motoristas graças aos indicadores. Quando se fala no faturamento, com todo o sistema interligado, a emissão de notas é feita em tempo real.

2. Melhoria de processos

A operação só tem início após a identificação do motorista, que é atrelado ao veículo que operará, e se todos os itens de verificação do carro para manutenção preditiva estiverem corretos. Com o sistema há, ainda, o cadastro de cercas eletrônicas e definição de áreas de coleta e entrega. A partir da indicação das atividades realizadas, é obtido o tempo levado para cada atividade, possibilitando a redução dos ciclos e otimizando a frota.

3. Ganho de tempo/ controle total dos veículos

É comum que, em um único dia, cerca de 200 caminhões passem pelo local. Existe um período mais crítico – entre 10h e 15h -, em a maioria dos veículos chegam juntos, o que gera filas e perda de tempo. A tecnologia consegue otimizar todo o trabalho, com o fornecimento de informações de status em tempo real: o que cada veículo está fazendo – carregando, descarregando, em almoço, troca de turno etc. Com isso, o sistema é capaz de remanejar as atividades, redirecionando automaticamente os carros para frentes com menor espera, por exemplo. Além disso, é possível gerenciar todas as atividades, com o fornecimento de KPIs (Key Performance Indicator, ou Indicadores-Chave de Desempenho) e relatórios em real time.

4. Redução de acidentes de trabalho

Todos os motoristas são controlados, tendo seu comportamento monitorado e, quando preciso, podem ser abordados com emissão de avisos e orientações. Se está chovendo, por exemplo, ele recebe um alerta para diminuir a velocidade, contribuindo para a direção segura; se está acima da velocidade, também. E, se for notificado três vezes, deverá passar por uma reciclagem. Já que os treinamentos de segurança podem ser oferecidos pelo tablet, o motorista pode aproveitar o tempo que está parado para assistir vídeos de atualização. O sistema conta com gestão e mapa de infrações de velocidade, registro e alertas de velocidade em áreas específicas e de risco, mapa de tráfego para auxiliar na formação de rotas e gestão do clima.

Há duas opções de controle: próprio, com instalação de um computador de bordo nos veículos; e de terceiros, em que o motorista recebe um tablet na entrada para ser colocado no pára-brisa com todos os dados, integrados com a balança, e o mapa da planta.

Saiba mais:

Segurança da informação: 6 pontos cruciais de atenção

Até 2020, IoT estará entre as tecnologias de mais impacto para os negócios

Imagem: Depositphotos