Transformação digital no setor de energia: 3 tecnologias cruciais

transformação digital

Realidade aumentada e frota conectada são duas delas; soluções garantem a comunicação entre subestações, mesmo em ambientes hostis

A transformação digital é um processo ininterrupto. A ideia de um futuro em que tudo está conectado demanda a criação de infraestruturas de redes que suportem grandes quantidades de dados, com disponibilidade total. Isso significa que, além da capacidade tecnológica, existe o desafio de fazê-las funcionar. Segundo Dymitr Wajsman, presidente do Utilities Telecom & Technology Council América Latina (UTC, ou Conselho de Telecom & Tecnologia de Serviços de Utilidade Pública, em tradução livre), no caso da indústria da energia, está na hora de implantar sistemas mais modernos. “Precisamos de recursos que supervisionem a operação e permitam recuperar a rede automaticamente. Ter religadores é inexorável, por exemplo. As companhias precisam de operações melhores e mais eficientes”. Nesse sentido, as soluções devem garantir a comunicação entre subestações, mesmo em ambientes hostis, com alta periculosidade e níveis altos de magnetismo. Veja a seguir, algumas delas:
  1. Frota conectada
Direcionada principalmente ao setor de distribuição, que possui frotas na rua para atender aos chamados dos usuário final, a solução tem como objetivo aumentar o nível de disponibilidade de comunicação entre o eletricista e a central, melhorando os processos de abertura, atendimento e fechamento de ordens de serviços. Além disso, permite o tracking dos veículos para direcionar a viatura mais próxima ao ponto de atendimento; cercas eletrônicas, para delimitar áreas de operação e alarmes em casos de desvios; câmeras com identificação do motorista; telemetria para verificação das condições do veículo e dirigibilidade do motorista; comunicação por voz e vídeo por meio de rádio e/ou softphone IP integrados; e redução do consumo de dados por satélite.
  1. Comutação inteligente
A automação de subestações é uma realidade no setor de energia, o que demanda uma infraestrutura que suporte o modelo de comunicação e tráfego de protocolos específicos do setor, como o Sistemas de Supervisão e Aquisição de Dados (SCADA), para comunicação entre bases de dados e o GOOSE, protocolo de comunicação entre os dispositivos de campo do setor elétrico. Assim, tão importante quanto automatizar uma subestação é prover a comunicação entre elas, integrando as informações em todos os pontos. Nesse sentido, é necessário contar com uma solução de comutação de dados para operar em ambientes de subestações que sejam inteligentes para operar com padrões de protocolo do setor, seguras para garantir a confiabilidade das informações no trajeto fim a fim e eficiente para não gerar atrasos nos pacotes da rede.
  1. Realidade aumentada
Integrado à solução de frota conectada, os óculos de realidade aumentada permitem a interação entre o eletricista que está na cesta e o “anjo” (pessoa que acompanha o eletricista), permitindo o compartilhamento visual de informações. Além disso, por meio de sensores térmicos acoplados aos óculos, é possível identificar previamente uma futura avaria no transformador. A realidade aumentada é um dos auges da tecnologia no setor de energia, pois permite obter informações, realizar diagnósticos e manutenção remotamente, em tempo real, de forma eficaz e segura, por meio da modelagem dos transformadores.  

Baixe o ebook Como a transformação digital está reabastecendo o setor de energia e saiba mais sobre o assunto.